Catálogo
Voltar atrás
-40%

JARDIM DE CIMENTO

Ian McEwan

  • Edição Janeiro 1
  • Colecção Obras de Ian McEwan
  • ISBN 972-662-062-7
  • Páginas 144
  • Dimensões 0 x 0
€11,62 €6,97
Indisponível

A publicação de O Jardim de Cimento - o primeiro romance de Ian McEwan, cuja colectânea de contos Primeiro Amor, Últimos Ritos já havia sido galardoada com o Prémio Somerset - anunciava a singularidade das obras futuras de um autor que, integrando-se numa geração que procurou renovar as letras inglesas, é hoje reconhecido como um dos maiores escritores da ficção mundial contemporânea.

O Jardim de Cimento considerado pela crítica simultaneamente chocante e perfeito, mórbido mas terrivelmente irresistível, é uma narrativa contada na primeira pessoa pelo seu protagonista, Jack, um rapaz de quinze anos que vive com duas irmãs adolescentes e um irmão pequeno. Com a morte dos pais, os quatro jovens experimentam uma sensação extraordinária de perda e liberdade. Num clima de isolamento quase doentio, tornam-se personagens de um universo estranho e entregam-se despreocupadamente a jogos solitários, ao desmazelo, à apatia e às fantasias mais arrebatadoras. Mas a consistência destas figuras está longe de se cingir a uma minoria marginal, remetendo-nos antes para a organização simbólica da comunidade como um todo. A ausência de valores não aparece neste romance como um caso específico, constituindo um sintoma de que nada afinal distingue o verdadeiro do falso, o útil do inútil, o sagrado do interdito. E tudo isto contado com um realismo inquietante, sem concessões nem rodeios, onde a morte e o sexo espreitam a cada porta para fazer saltar o verniz das convenções, dos preconceitos morais e do conservadorismo britânico. Sensual, perturbador, fascinante: uma pequena obra-prima.

«Recria maravilhosamente a ambiência  do momento da vida dos jovens em que estes alcançam a vida adulta instantânea por que todos anseiam, em que o vulgar ganha um brilho de mistério e o extraordinário parece uma banalidade. É difícil pôr defeito na escrita ou na construção desta fábula sinistra.»

Sunday Times


«Um trabalho extraordinariamente seguro, tecnicamente competente e incrivelmente poderoso.»

Observer