Newsletter
Receba as nossas novidades na sua caixa de correio.


 

Terça, 14 de Novembro de 2017
O físico Carlos Fiolhais é o vencedor do Grande Prémio Ciência Viva Montepio 2017
O investigador Carlos Fiolhais é um dos vencedores dos Prémios Ciência Viva Montepio 2017.
O investigador Carlos Fiolhais é um dos vencedores dos Prémios Ciência Viva Montepio 2017.

O Grande Prémio Ciência Viva Montepio distingue Carlos Fiolhais pela sua acção notável na promoção da cultura científica enquanto docente, investigador, autor e editor da prestigiada colecção "Ciência Aberta", da Gradiva. Doutorado em Física Teórica, Carlos Fiolhais é professor catedrático da Universidade de Coimbra e director do RÓMULO Centro Ciência Viva.

A Gradiva publicará ainda este mês o seu mais recente livro A Ciência e os Seus Inimigos em co-autoria com o bioquímico David Marçal com quem já tinha escrito também os títulos Darwin aos Tiros e outras histórias de ciência e Pipocas com Telemóvel e outras histórias de falsa ciência.

Este seu novo livro incide sobre os principais inimigos da ciência desde logo os mais terríveis e difíceis de erradicar - a ignorância, a ideologia... e a falsa ciência que começa logo, aliás, em muita da actividade "científica".

A cerimónia de entrega de prémios terá lugar a 24 de Novembro, Dia Nacional da Cultura Científica, às 16.00, na Galeria da Biodiversidade - Centro Ciência Viva, situada na Casa Andresen, no Porto. Estará presente o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.

Este evento, que marca a Semana da Ciência e da Tecnologia, será antecedido, às 14.30, pelo debate público "Ciência e pseudociência na Comunicação de Saúde".

Os Prémios Ciência Viva Montepio são atribuídos anualmente pela Ciência Viva e pelo Montepio e distinguem personalidades e instituições que se destacaram pelo seu mérito excepcional na promoção da cultura científica em Portugal. Os premiados foram seleccionados pelos representantes das instituições de investigação científica que constituem a Agência Ciência Viva.

Nos últimos cinco anos o Grande Prémio Ciência Viva Montepio distinguiu o editor Guilherme Valente, da Gradiva, o geólogo Galopim de Carvalho, o botânico Jorge Paiva, o físico Manuel Paiva e o patologista Sobrinho Simões.