Newsletter
Receba as nossas novidades na sua caixa de correio.


Descarregue aqui o catálogo da editora em formato pdf.
10%
Haikus do Japão e do Mundo
Colecção: Cantares de amigos

Ano de edição: 2016
ISBN: 978-989-616-702-8
Capa: Brochado (capa mole)
14 €
12,60 €

Quantidade:
Sinopse
Poemas que revelam enorme sensibilidade, numa escrita serena e sedutora.

Recorrendo a uma forma poética de origem japonesa (haiku), onde se valoriza a objectividade, o autor apresenta um conjunto de poemas que levam o leitor a viajar por locais distintos, no Oriente e no Ocidente. A escrita delicada e sedutora motivam uma leitura que se aprecia com gosto.


«Poemas de infinita delicadeza […], o pormenor requintado, numa simplicidade luminosa, o culto da serenidade com um toque oriental entre o epicurismo horaciano e o convívio com Buda, um fulgor do olhar que vê, que acaricia, que ama, sem se assenhorear dos seres e das coisas, o jogo do amor libado ritualmente, com festa e com dádiva.»

Urbano Tavares Rodrigues


«Na sua poesia há qualquer coisa de desarmante, comovedor, intransmissível. Por vocábulos e ritmos, que no entanto só por eles pode ser dito. Uma diferença chinesa.»


Gil de Carvalho


«Escrita encantada e de encantar, onde a voz lírica se expande em fragmentos que tecem um conto de fadas, tão sedutor para nós como outrora foram os que ouvimos em anelante suspensão.»


Annabela Rita
Autor(es)
António Graça de Abreu nasceu no Porto, em 1947. Licenciado em Filologia Germânica, Mestre em História da Expansão e dos Descobrimentos Portugueses, foi professor de Português em Pequim (Beijing) e tradutor nas Edições de Pequim em Línguas Estrangeiras.

Viveu em Pequim e Xangai entre 1977 e 1983. Foi professor do ensino secundário e Assistente Convidado, leccionando Sinologia no Instituto de Estudos Orientais da Universidade Nova de Lisboa, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, actualmente na Universidade de Aveiro e na Fundação / Museu do Oriente.

Traduziu para português a peça de teatro Xi Xiang Ji (O Pavilhão do Ocidente), editada em 1985, e as antologias Poemas de Li Bai, Poemas de Bai Juyi, Poemas de Wang Wei e Poemas de Han Shan publicadas, respectivamente, em 1990, 1991, 1993 e 2009.

Tem no prelo os Poemas de Du Fu, com Li Bai, o maior poeta dos trinta séculos de poesia chinesa.

Traduziu o Tao Te Ching. O seu mais recente trabalho é Toda a China I e II (2013 e 2014), um extenso conjunto de textos sobre as suas muitas viagens e vivências pelo território da República Popular da China, Taiwan, Hong Kong e Macau.

Historiador e poeta, é também autor da biografia de D. Frei Alexandre de Gouveia, Bispo de Pequim (1751-1808), co-autor dos dois volumes da Sinica Lusitana, 2001 e 2004, e dos livros de poesia China de Jade, 1997, China de Seda, 2002, Terra de Musgo e Alegria, 2005, China de Lótus, 2006, Cálice de Neblinas e Silêncios, 2008 e A Cor das Cerejeiras, 2010. Publicou ainda o Diário da Guiné, 2007, o relato de guerra dos seus dois anos, 1972/1974, como alferes miliciano num Comando de Operações na antiga Guiné Portuguesa.

Entre 1996 e 2002 pertenceu ao Board da European Association of Chinese Studies (Heidelberg, Edimburgo e Turim).

Com a tradução dos Poemas de Li Bai, obteve o Prémio Nacional de Tradução 1990, do PEN Clube Português/Associação Portuguesa de Tradutores.