Newsletter
Receba as nossas novidades na sua caixa de correio.
10%
O CAMINHO QUE NENHUM HOMEM TRILHOU
Colecção: Ciência Aberta

Páginas: 491
19,19 €
17,27 €


Sinopse
Apenas alguns meses após o lançamento nos Estados Unidos, a Gradiva publica em Portugal o novo livro de Carl Sagan, escrito de parceria com outro qualificado cientista, Richard Turco.
A Carl Sagan e a Richard Turco atribuiu a Sociedade Americana de Física o Prémio Leo Szilard pela descoberta do inverno nuclear, uma descoberta científica que teve profundas consequências nos planos político, militar e estratégico, suscitando uma tomada de consciência dos especialistas de todo o mundo relativamente aos riscos da disseminação do armamento nuclear.
É precisamente a história dessa descoberta e o apontar das vias para encontrar uma saída que Sagan a Turco "contam" neste livro, recorrendo ao leque estelar de referências culturais que fazem de cada livro do autor de Cosmos uma obra-prima de comunicação, de reflexão crítica, de inteligência criativa.
Uma explicação autorizada e abrangente do inverno nuclear que também ajudará o público a perceber o problema do efeito de estufa.
Carl Sagan é professor de Astronomia e Ciências Espaciais e director do Laboratório de Estudos Planetários na Universidade de Cornell. O seu trabalho de investigação e os seus livros obtiveram várias distinções, designadamente o Prémio Pulitzer para a obra Os Dragões do Éden.
Richard Turco é professor de Ciências Atmosféricas na Universidade da Califórnia (UCLA). O seu trabalho obteve, entre outras distinções, o Prémio MacArthur.
Na sequência da investigação sobre o inverno nuclear, Sagan e Turco participaram activamente no aconselhamento ao Congresso, Departamento de Defesa e outros organismos governamentais dos Estados Unidos, bem como aos dirigentes de outras nações, sobre as consequências ambientais de um conflito nuclear.

Autor(es)

CARL SAGAN (1934-1996) foi professor de Astronomia e Ciências Espaciais e director do Laboratório de Estudos Planetários na Universidade de Cornell. Desempenhou um papel preponderante nas missões interplanetárias das naves Mariner, Viking e Voyager, tendo sido condecorado por duas vezes com a Medalha por Feitos Científicos Excepcionais da NASA. Carl Sagan recebeu ainda o Prémio Pulitzer, assim como as mais altas distinções tanto da Academia Nacional de Ciências como da Fundação Nacional da Ciência, entre muitos outros prémios que distinguiram a sua contribuição para a ciência, a literatura, a educação e a preservação do meio ambiente. O seu livro Cosmos (que se seguiu à série de televisão homónima vencedora de um Emmy e de um Prémio Peabody) é o livro de divulgação científica em língua inglesa mais vendido de sempre. O seu romance Contacto, também um best-seller, foi adaptado ao cinema.


Carl Sagan foi dos primeiros cientistas a alertar o público para o perigo do aquecimento global e das possíveis consequências climáticas de uma guerra nuclear. Na década de 1980 iniciou uma campanha em prol de uma aliança entre religião e ciência com o objectivo de proteger o meio ambiente.


Em 1998, por ocasião da visita a Portugal da sua Mulher Ann Druyan cumprindo uma promessa de Carl Sagan que ele não viria a poder concretizar, foi distinguido com a Grã-Cruz da Ordem de Santiago de Espada pelo Presidente da República Jorge Sampaio, sendo Ministro da ciência José Mariano Gago.
 

Richard Turco