Newsletter
Receba as nossas novidades na sua caixa de correio.


Descarregue aqui o catálogo da editora em formato pdf.
10%
Construir o Inimigo e outros escritos ocasionais
Autor: Umberto Eco
Colecção: Fora de Colecção

Páginas: 316
Ano de edição: 2011
ISBN: 978-989-616-435-5
Capa: Brochado (capa mole)
14 €
12,60 €


Sinopse
O título desta recolha deveria ter sido o seu subtítulo, ou seja, «Escritos Ocasionais». Mas a justa preocupação do editor de que um título tão ostensivamente modesto pudesse não atrair a atenção do leitor levou à escolha do título do primeiro dos ensaios que a constituem.
 
A principal virtude de um escrito ocasional reside do facto de o autor, desafiado pelo convite para participar numa série de palestras ou ensaios temáticos, se ocupar de um assunto sobre o qual não pensara debruçar-se, sendo sido assim induzido a reflectir sobre algo que, de outro modo, teria transcurado.
 
Eis então aqui uma série de variações, ora empenhadas ora divertidas, sobre temas como o Absoluto, o Fogo, o porquê de chorarmos a sorte de Anna Karenina, as astronomias imaginárias, os tesouros das catedrais, as Ilhas Perdidas, Victor Hugo e seus excessos, o mecanismo do reconhecimento no folhetim, a ventura ou desventura de Joyce na época fascista, entre outros.
 
Não é, todavia,casual que o título escolhido para a colectânea seja o desse primeiro ensaio, uma vez que o autor se dedicou ao tema daconstrução do inimigo no seu último romance, O Cemitério de Praga, e este mecanismo perverso permanece actual, pois «para manter o povo sob controlo é necessário inventar constantemente inimigos, e pintá-los de maneira a inspirarem medo e repugnância».
 
Autor(es)
Umberto Eco (1932-2016) foi um eminente filósofo, medievalista e semiólogo italiano.

Estreou-se na narrativa com O Nome da Rosa (Prémio Strega 1981), a que se seguiram O Pêndulo de Foucault, A IIha do Dia Antes, Baudolino, A Misteriosa Chama da Rainha Loana e O Cemitério de Praga.

Entre as suas numerosas obras ensaísticas (académicas e outras), destacam-se: O Signo, Os Limites da Interpretação, Kant e o Ornitorrinco, A Passo de Caranguejo, Construir o Inimigo e outros escritos ocasionais, Obra Aberta, Dizer Quase a Mesma Coisa - Sobre a Tradução e Como se Faz uma Tese em Ciências Humanas. Organizou ainda os livros ilustrados História da Beleza, História do Feio e História das Terras e dos Lugares Lendários.