Newsletter
Receba as nossas novidades na sua caixa de correio.


Descarregue aqui o catálogo da editora em formato pdf.
10%
O Relojoeiro Cego
Colecção: Ciência Aberta

Páginas: 484
Ano de edição: 2007
ISBN: 978-989-616-163-7
30,29 €
27,26 €


Sinopse
Vencedor do Prémio da Royal Society of Literature e do Prémio Literário do Los Angeles Times

«Este pode ser o livro mais importante sobre a evolução desde Darwin.»

DR. JOHN GRIBBIN, The Good Book Guide

Um livro brilhante e controverso que demonstra que a evolução através da selecção natural - o processo inconsciente, automático, cego e vitalmente
não-aleatório descoberto por Darwin - constitui a única resposta à maior questão de todas: porque é que existimos?

No título, Dawkins faz referência à analogia do relojoeiro, tornada famosa pelo teólogo oitocentista William Paley, na sua obra Natural Theology. Paley, que escreveu o livro mais de cinquenta anos antes de Charles Darwin ter publicado A Origem das Espécies, afirmava que a complexidade dos organismos vivos constituía prova da existência de um criador divino, estabelecendo um paralelismo com a forma como a existência de um relógio obriga a aceitar a existência de um relojoeiro inteligente. Dawkins, tendo em conta os processos que subjazem a selecção natural, afirma que, nesse caso, o relojoeiro terá de ser cego.

«O segredo de um bom livro de divulgação científica é fazer-nos compreender as ideias expostas: a boa escrita tem por detrás um pensamento claro. Ao ler O Relojoeiro Cego, senti-me frequentemente atónito com a clareza com que Dawkins vê os problemas. É evidente, contudo, que Dawkins não perdeu o sentido do fascínio com o mundo natural ao ampliar a sua compreensão intelectual deste. Quem me dera saber escrever assim.»

JOHN MAYNARD SMITH, New Scientist
Autor(es)
RICHARD DAWKINS, biólogo, ensinou Zoologia na Universidade da Califórnia e na Universidade de Oxford, encontrando-se actualmente a leccionar nesta última. Os seus livros sobre evolução e ciência incluem O Gene Egoísta, A Escalada do Monte Improvável e Decompondo o Arco-Íris, igualmente editados pela Gradiva.